Blog POPLOAD

Popload, O SITE, estreia hoje. Nova cara, novo endereço, novas pretensões
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

* Bem, está chegando a hora. Hoje, dia 5/5, às 5h55 da tarde, estreia f-i-n-a-l-m-e-n-t-e em nova casa o SITE POPLOAD. É a nova cara, em novo endereço, deste espaço virtual que busca exatamente isso dentro da música: o novo. Ou as novidades dos velhos. Tipo a própria Popload.

55555_site(1)

A Popload sai daqui do UOL, o maior portal do Brasil, para o caminho da independência, outra marca do tipo de música que a gente gosta de falar. O endereço de acesso é o padrão, mas acho que você vai ter que limpar seu cachê para tirar o “blogosfera.uol'' dele na entrada automática. O caminho ao novo endereço da Popload é ir direto no:

www.popload.com.br


ou

www.lucioribeiro.com.br

A data e o horário “cabalístico'', 5h55 de 5/5, nos foi sugerido de um modo enfático por gente que lida com essas coisas, digamos, mais místicas. Quem somos nós para ir contra?

Na verdade um blog mais encorpado, com uma “primeira página'' vistosa, mais bem organizado e bonito, Popload, o Site pretende dar continuidade ao que vem sendo feito até hoje, desde o fim dos anos 90, mas com uma estrutura melhor e de maior alcance para dar vazão ao que vem por aí. Ao que já está vindo nos últimos anos, para ser mais exato.

Será ainda um “soft opening''. Um “work in progress'' público tipo estádio da Copa, porque nem tudo ficou pronto, nessa trabalheira dos diabos para ser erguido, ao contrário do que eu esperava haha.

O site Popload terá novas seções e incrementos das antigas. Volta o Guia Out, o roteiro de baladas electro-indie-rock de todo o Brasil que tinha nos tempos do blog no iG. O Mapa do Rock vem aí. As sessions de novas bandas, brasileiras e internacionais, vão chegar mais “invocadas'' e com canais próprios. As tradicionais coberturas de festivais pelo mundo ganharam espaço “nobre'' na home.

O Popload nasceu uma coluneta de jornal impresso na Folha de S.Paulo e com outro nome (Download, 1999), depois cresceu e recebeu o atual batismo (Popload, 2001), ganhou um “irmão'' na nova onda que era a internet (sem nome dentro da seção “Pensata'', Folha Online, 2000), depois virou uma coisa só como coluna, partiu para virar blog (2006, no iG) e agora chega a site depois de mais de dois anos aqui neste poderoso UOL.

Levada a mudanças, a Popload procura seu papel dentro de uma plataforma multimídia, multicultural, multiprodutiva em que se transformou, com o pocket festival Popload Gig (+ de 30 edições), o Popload Festival (indo maior para sua segunda edição, em novembro), o aumento do número de viagens internacionais e a entrada para o grupo Beltrano Musical, que aumenta as possibilidades de seu braço organizacional/empresarial.

Bom, agradeço ao UOL pelo valioso espaço dado até hoje, mas preciso ir lá preparar as coisas na “nova casa'' da Popload para mais tarde, às 5h55 da tarde. Te espero lá no novo lar da Popload. Pode entrar e ficar à vontade. Não repara a bagunça.

>>


Tem Que Ver Isso Aí: a semana na Popload
Comentários 1

Lúcio Ribeiro

>>

>> SHOWS E FESTIVAIS

* Uma noite em Sorocaba. Com o ALDO, a banda
* A “polêmica'' SKY FERREIRA tocando em São Paulo, no dia 11 de junho
* Opa, em junho também tem CUT COPY, no Clube AUDIO (SP)
* Primeiro show e primeiro disco do resta da vida do INKY
* Festival In-Edit agita São Paulo com documentários de música
* Os incríveis STRYPES, em show inteiro na França
* CHET FAKER arrancando suspiros filosóficos em Londres

290414_oasis

>> TEM QUE VER ISSO AQUI:

* A verdade sobre o O A S I S do Liam. E as camisinhas do NOEL
* PARQUET COURTS toca música nova e mostra que está “piorando''
* CHVRCHES tenta conquistar a América
* COURTNEY LOVE, a “vaca'', 20 anos depois, ainda berra no dia do casamento
* FRANZ FERDINAND mostra a bala (!) nos EUA
* KASABIAN prepara o álbum 48:13 e solta as músicas “3:00″ e “4:18″
* O Melhor do Twitter: Edição #SomosTodosBananas


O Melhor do Twitter: #SomosTodosBananas Edition
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

Alguém aí no feriado? Semana de polêmicas: a banana, o racismo, o Neymar, #somostodosmacacos, o Huck, a camiseta do Huck, a publicidade e… PARA! Aos 45 do segundo tempo ficamos sabendo que, ATENÇÃO: não há mais racismo. Tudo isso em cinco dias, hein, fortes emoções. E também tivemos o “20 Anos sem Senna'', o Papa no futebol, o novo Fantástico, o Troféu Imprensa e a Copa.

@mitsudiz Pra quem é da minha geração e tá acostumado a falar que tá engatilhado com mil projetos, admitir que está com tédio exige certa intimidade

@souljaboy Tell a therapist, not Twitter.

@rafaelcapanema Eu entrevistei o homem que deixou a internet escolher as tatuagens dele e a internet escolheu pintos http://t.co/EtVwD8v9I8

@julianakataoka Relembrando o dia que o Et e o Rodolfo foram acordar o Gil Gomes e ele tinha uma arma debaixo do travesseiro

@Corazzoff Minha declaração do IR chega e o computador da Receita fala “beleza, galera, já bateu aqui o último de sempre, bora pro boteco''

@marceloindaniel Nunca vou entender o fenômeno da cerveja gourmet. Você reúne uma galera e juntos consomem umas 5 longnecks

@biabonduki Edredrone: um drone que vem sobrevoando a cama e te cobre com o edredom na hora de dormir

@siteF5 Gianecchini se veste de Romero Britto e quase some em meio a obras do artista; veja. http://t.co/Y9rltWcwiE

@adriaramaral Novo mene: Romero Britto dark http://t.co/ebFJbzD1z4

@8th_floor Ceis falando da classe média parecem o Pelé falando do Edson.

@neozeitgeist “Homem rende garota e faz sexo oral no namorado dela'' http://t.co/NmAa18bWh4 “O caso ocorreu em Ponta Grossa''

@RealMORTE “Onde você estava na hora da morte do Senna?''. Não sei vocês, mas eu estava batendo papo com ele.

@chicobarney Tinha saído com a minha tia e a minha avó, cheguei em casa minha mãe tava discutindo com a tv: “levanta daí, seu idiota''. #SENNA

@faabio Bebida predileta do senna? Batida do côco. Disco predileto? The wall. (Fazia cursinho nessa época)

@marvio Ouvi dizer que o maior legado de Senna foi o IAS. Quem diz isso não viu a Playboy da Galisteu.

@neozeitgeist Há 20 anos eu ficava tristíssimo com o feriado que caiu num domingo

@arnaldobranco Ayrton Senna era o Superman, Piquet era o Batman

@viniciusduarte Bem legal a entrevista da @anarina com adolescentes falando o que sabem sobre o Senna: http://t.co/7uljiuIh2f (só que uma moça comparou o Senna com o MC Daleste, eu fiquei meio confuso)

@aitel People of brazil please stop the goddam senna flood for crisake

@sorryperiferia Gente, o Senna morreu???

@feliep_ Fantástico tá parecendo o tv cruj

@paulinobritto Mas q caralho o fantástico virou uma rodinha de maconha??!

@danilovara Reunião de Pauta do Fantástico x Workshop de botox do Troféu Imprensa #duelodoséculo

@fefito Tô acompanhando o Fantástico, mas mudei rapidinho pro Troféu Imprensa e COMO ASSIM CÊS NÃO TÃO FALANDO DO TERNO CHEIO DE GLITTER DO SILVIO?

@moskito William Waack dizendo que o novo estúdio tá difícil. A Globo precisa urgentemente por uma mão na consciência.

@donizett1 Vou abrir uma planilha para: ( ) cálculos de rendimentos para o IRPF (X) Controle de figurinhas repetidas.

@nobreceara Não aguento mais essa goleada de comerciais da copa

@mkarl Curso de Introdução ao Brasil para Gringos deve incluir tópicos como: 1- Novela das Oito 2- Ayrton Senna 3- Leonel Brizola 4- Debate de 89

@Homer_Verdao PAPA mandou o bandeira anular

@alisson10 Papa Títulos x Papa Francisco nas quartas.

@davidbutter Papa acaba de decretar vigília. Mandou acordar os noviços todos

@faabio Papa > imortalidade

@lucasvon O Morro do Dendê é ruim de invadir. http://t.co/AXbUCqmgcT

@marcelobechler Tivemos torcedores dormindo em jogos no Maracanã e Serra Dourada hoje. Mais um, podia pedir travesseiro no Fantástico.

@arnaldobranco Realmente os jogos da Libertadores são mais emocionantes, você nunca sabe quando alguém vai acertar um passe

@marvio FUTEBOL E EROTISMO RT @elpais_brasil Dani Alves come a banana como quem engole o racismo. Assista o vídeo: http://t.co/kp5XsVGqSJ

@neymarjr SOMOS TODOS IGUAIS, SOMOS TODOS MACACOS. RACISMO NÃO!!!!! http://t.co/jAhJx9TgvN

@neozeitgeist Gente???¿¿ eu prefiro ser gorila pode?

@moskito Neymar lançou a campanha “somos todos macacos'' e eu to maravilhado com esse gesto anti-racismo que ao mesmo tempo é pró-evolucionista

@davidbutter Tudo isso que anda acontecendo com Neymar ameaça a chegada do Menino Maracanazo. É muita história

@faabio Se o daniel alves visse o que já estão fazendo pra se promover, vomitaria a banana.

@tiposdehipster Hipster que vai aproveitar o protesto pra tirar foto da sua receita de bananas com panquecas e Nutella.

@cirohamen Só mando foto da minha banana no privado

@anacoli Ai não! Fizeram (Estadão) mesmo a matéria sobre a inflação do preço da banana O.o

@pedrograca Instagramando o suflê de banana que eu fiz aqui em protesto

@alechandracomix LOOK DO DIA – camiseta “somosmacacos´´ luciano huck – saia com silk homenagem do “esquenta´´ – sapatenis da festa “salve o oliver´´

@viniciusduarte Caraca, se vc filtrar as palavras “banana'' e “macaco'', a TL fica branquinha, parece que o twitter fechou.

@mariqb Quem tá por trás da #somostodosmacacos é a loducca, ag. de publicidade.Ñ tem mais bobo no futebol http://t.co/31N91t1EYR

@bolivarescobar Imagina trabalhar na Loducca. Vc acorda cedo, chega na agência e o chefe abre a pauta “galera, o Neymar pediu uma campanha contra o racismo''

@sorryperiferia O dia que o Neymar tiver uma convulsão em campo, eu vou pensar que é um viral da Golden Cross.

@claraaverbuck Não posso me ausentar por um minuto do twitter que a veja decreta o fim do racismo? mas que coisa

@viniciusduarte E pensar q pra acabar com o racismo bastava apanhar uma banana no chão e comê-la, se Mandela tivesse feito isso…

@manubarem Agora que o racismo acabou (proj Veja) a gente olha pra trás e pensa “como que a gnt pode ter feito isso né caras'' kkk tempos loucos

@sorryperiferia Próxima vez que alguém tacar uma banana no campo, o jogador deve responder “veja diz que acabou o racismo, parem''.

@Tonkiel “Daniel não vai mais comer banana em campo, diz pai'' porque acabou o racismo? não, por que tá com medo de ter veneno na banama

@rosana Status: aguardando a Veja decretar o fim da obesidade pra comer uma lasanha verde com creme branco.

@bolivarescobar Agora que a @VEJA falou que o racismo acabou, quem ainda for racista com certeza é porque vota no PT ou é comunista

@janessacamargo Ja pararam de postar banana e voltaram a postar tapioca da dieta de vcs?

@marcelohessel Vcs reclamam da veja mas agora com o DIA DO FIM DO RACISMO todos só têm a ganhar com um novo feriado pra emendar no dia 1


Em um pulo nos EUA, o Franz Ferdinand mostra sua bala
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

* Faz tempo que o velho e bom grupo escocês Franz Ferdinand não vem ao Brasil, né? Será que eles estão #chatiados com a gente?

Screen Shot 2014-05-02 at 17.35.35

Mas, enquanto não voltam para tocar por aqui, a banda de Alex Kapranos voltou foi aos EUA para se apresentar anteontem, ao vivo, no programa do Jimmy Kimmel. O FF aproveitou uma ida a shows no México, que acontecem amanhã e domingo, para dar um pulo em Los Angeles para revelarem na TV que ainda estão em grande forma. O grupo tocou por lá não no auditório, mas no palco externo de shows do Kimmel.

Aqui a gente vê a performance deles para a ótima “Bullet'', do disco “Right Thoughts, Right Words, Right Action'', do ano passado. Beleza pura!

>>


Parquet Courts revela música nova e mostra que está “piorando” <3
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

Screen Shot 2014-05-02 at 17.07.59

* Bom, eu não aguento o Parquet Courts, grupo de moleques do circuito Brooklyn-Austin, Nova York-Texas que lançam o segundo (terceiro?) álbum deles no comecinho de junho agora, chamado “Sunbathing Animal''. Eu já achava que o indie-áspero que marcou a chegada deles à cena em 2012 e toda a confusão que foi o maravilhoso primeiro disco, lançado em várias etapas e que na real nem é o primeiro disco, penderia para alguma “evolução sonora'' e tudo mais. Como acontece sempre com qualquer banda nova que vai crescendo e aparecendo.

Screen Shot 2014-05-02 at 16.38.32

Mas testemunhando essas músicas novas que estão pintando recentemente, como essa “Black and White'' que acabou de ser divulgada, a ideia é que a banda está “involuindo'', ficando mais crua, mais punk. E isso, nesse caso, é uma grande notícia.

O som do Parquet Courts mexe comigo de uma maneira muito especial. Nem sei definir direito como. Aliás eu sei. O segredo está na “energia''. Essa coisa punk com umas paradas para um solo de guitarra tipo Nirvana em todas as músicas é demais.

As músicas todas de “Sunbathing Animal'', o segundo-terceiro disco deles:

'Bodies'
'Black And White'
'Dear Ramona'
'What Color Is Blood'
'Vienna II'
'Always Back in Town'
'She's Rollin'
'Sunbathing Animal'
'Up All Night'
'Instant Disassembly'
'Duckin and Dodgin'
'Raw Milk'
'Into the Garden'

Anteontem, eles foram no programa do apresentador Seth Meyers, na TV americana, apresentar “Black and White'' ao vivo. Olha que maravilha… Espero vê-los ao vivo de novo, dia destes :)

>>


Chvrches tenta conquistar a América (mais uma vez)
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

020514_chvrches

Há mais ou menos um ano, o delicioso trio escocês Chvrches, liderado pela doce Lauren Mayberry, fez sua estreia nacional na TV norte-americana. Na ocasião, eles tocaram no talk show do comediante e apresentador Jimmy Fallon. Agora, eles voltaram ao programa para avisar que estão de volta aos Estados Unidos para uma nova turnê que inclui apresentações em festivais como Bonnaroo e Lollapalooza.

A banda recém lançou uma reedição do seu festejado disco de estreia – “The Bones of What You Believe'' – que inclui gravações alternativas de faixas como “The Mother We Share'', “Gun'' e “Recover'', esta última tocada ao vivo no Fallon, como pode ser conferido abaixo.

>>


Agora muso pop, Chet Faker arrancou suspiros filosóficos ontem, em Londres
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

Screen Shot 2014-04-30 at 11.54.03

* Já na categoria um pouco incômoda de “muso'', o produtor e DJ cool australiano Chet Faker arregimenta menininhas para a fila da frente de seus shows FORA da Austrália. Tipo o de ontem em Londres, no Koko abarrotado, em Camden Town, parte da turnê que o barbudo lenhador, eletrônico com vocal de soul, faz pelo Reino Unido, para divulgar o recém-lançado e belíssimo “Built on Glass'', o primeiro álbum de sua lavra, como diz um amigo meu.

Chet Faker, residente na absurda Melbourne e sério concorrente à “nova estrela da música pop'', é considerado um filósofo indie apesar dos poucos 24 anos de idade. Ele diz que usa as letras de suas músicas, narradas com uma absurda voz que ao mesmo tempo acalenta e perturba, para fazer análise, discutir a vida, essas coisas.

Screen Shot 2014-04-30 at 12.18.00

“Brilhante'' foi a palavra que eu mais vi na repercussão das redes para o show de ontem. Isso porque alguns olhos da Popload disseram em apresentações de Faker recentes, incluindo a de Londres nesta noite, que o show é paradão, contemplativo. Um cara atrás de duas mesas. Com uns picos absurdos de envolvimento da plateia com o músico e vice-versa. O famoso show com climão.

Do concerto de ontem, achamos “No Diggity'', que não está no disco. Talvez a música mais famosa de Chet Faker, que nem é dele, mas sim de um grupo de R&B americano dos 90, o Blackstreet. A cover apareceu, APENAS, num comercial de cerveja no Super Bowl do ano passado e praticamente lançou os ouvidos todos para Chet Faker. Ontem, ela veio assim:

>>


Os incríveis Strypes, em show inteiro na França
Comentários Comente

Lúcio Ribeiro

>>

* Nunca tinha visto um show inteirinho deles, dando essa sopa. O quinteto irlandês The Strypes, que somam no nome Strokes e White Stripes mas na verdade são mais ou menos Beatles e Stones no som e no estilo, andam na estrada desde fevereiro, quando fizeram turnê inglesa, tocaram nos EUA (Sxsw inclusive) e agora se encontram excursionando pela Europa.

Screen Shot 2014-04-30 at 9.19.47

Molecada dentro da incrível média de 16, 17 anos de idade, o Strypes lançou o bom disco de estreia, “Snapshot'', em setembro do ano passado na Inglaterra, quando alguns deles tinham 15, haha. Depois, agora em março, saiu para o resto do mundo.

Abaixo tem os menininhos de Cavan, Irlanda, tocando uma hora no Printemps de Bourges, cada vez mais crescente festival de nova música realizado por cinco dias em Bourges, na França.

O show teve as músicas novas do Strypes, lançadas no EP “4 Track Mind'', que foi lançado na Inglaterra e no Japão há algumas semanas.

Olha esses moleques…

>>

Tags : strypes


Courtney Love, a “vaca”, 20 anos depois, ainda grita no dia do casamento
Comentários 1

Lúcio Ribeiro

>>

Screen Shot 2014-04-30 at 7.57.11

* Não sei se você está percebendo, mas está rolando um certo revival para as meninas grunge-punk que gritam. A Brody Dalle lançou o disco dela nesta semana, berrando muito. E a complicada Courtney Love saiu do surto (mais ou menos) para lançar um novo single. Há poucos dias a gente ouviu a gritada “You Know My Name''. Sim, a gente sabe o nome dela, sim. Agora pintou o lado B desse single, ou o outro lado A, uma música chamada “Wedding Day''. Que eu achei melhor que a primeira nova.

“Eu vou sempre voltar forte'', se esguela Love na música, emendando com um “Fuck off''. Quem há de negar? O single “You Know My Name”/''Wedding Day'' sai semana que vem, em vinil e no iTunes. Prenúncio de um álbum novo da viúva Cobain, a ser lançado ainda neste ano, dizem.

Há 20 anos, em abril de 1994, Courtney Love lançava o grande álbum de estreia de sua banda Hole, o incrível “Live Through This'', disco marcado por memoráveis canções, um feminismo roqueiro absurdamente lindo e pela estúpida morte do guitarrista Kurt Cobain, em suicídio quatro dias antes de o disco do Hole chegar às lojas. Álbum que tem a marca de seu marido por praticamente todas as músicas, tipo um fantasma. Mas, apesar de ser um disco-luto, mais que tudo “Live Through This'' não consegue apagar a fortíssima personalidade de Courtney Love.

Ela é hoje não mais que uma barraqueira desacreditada, ok. Mas já foi voz de uma geração grande de indies mulheres.

Tem alguns momentos especiais em minha vida em que Courtney Love cruzou meu caminho. Primeiro foi o show de abertura para o Mudhoney que ela fez com o Hole em 1991, em Londres, quando eu morava por lá. Uma semana antes do Reading Festival daquele ano, em que o Nirvana apareceu carregando toda a revolução grunge para um concerto à luz do dia que mudaria a música da época. Sente a ocasião. Sonic Youth e Nirvana na plateia do Astoria, Mudhoney esperando para entrar, e Courtney Love no palco de baby-doll todo rasgado e cantando esguirçadamente música dos Smiths no intervalo das canções do Hole. Pensa.

Outro “momento Courtney & Eu'' foi anos depois num outro Reading Festival, quando eu estava muito longe do palco mas ainda assim fui arrastado pela multidão e flutuei uma música inteira sem conseguir botar o pé no chão na onda humana formado pela molecada louca. Não era fácil ir ao Reading Festival naquela época.

E, por fim, uma das grandes entrevistas que fiz, mais recentemente, pouco antes de ela vir ao Brasil para o polêmico show do SWU, lembra disso? Conversei com ela por mais de uma hora sem fazer uma única pergunta. E ela no fim pediu que eu a levasse, quando no Brasil, para tomar chá do Santo Daime, entre outros “requests''.

Do “Live Through This'', lá de 1994, a gente destaca essa pequena maravilha abaixo.

** Ontem a polícia de Seattle divugou um bilhete encontrado na carteira de Kurt Cobain no dia em que ele foi achado morto com um tiro da cabeça, em sua casa. Na carta, aparentemente escrita por Cobain, ele acusa Courtney Love de estar “sugando seu dinheiro''. A carta não tem data e talvez estivesse há dias na carteira de Cobain. Ela tinha uma estampa de um hotel de San Francisco.

O bilhete não aliviava a barra de Courtney Love mesmo, na treta de casal.

“Do you Kurt Cobain take Courtney Michelle Love to be your lawfully shredded wife,'' the letter reads, “even when she's a bitch with zits and siphoning all yr money for doping and whoring.''

>>


A “polêmica” Sky Ferreira toca no Cine Joia, 11 de junho
Comentários 2

Lúcio Ribeiro

>>

sky

* A esperta cantora loira, morena, ruiva e polemizadora de redes sociais Sky Ferreira se apresenta no próximo dia 11 de junho em São Paulo. O concerto, que acontece dentro do selo de shows Club NME (que no ano passado assinou as produções das apresentações de Paul Banks e Vaccines), terá lugar no Cine Joia, na Liberdade.

Os ingressos entram à venda aqui amanhã.

Sky Ferreira, protegidinha do midas indie Dev Hynes, lançou seu primeiro álbum, o bom “Night Time, My Time”, no ano passado nos EUA. O disco ganhou novo lançamento recentemente, por algum motivo, no mercado britânico e até brasileiro. O álbum de estreia tem a cantora de 21 anos, também modelo e atriz, mostrando os seios na capa, linda e loira.

Se ajuda no currículo da garota, ela é californiana com descendência de família luso-brasileira, família esta que era amiga do Michael Jackson. Haha. Adoro escrever isso quando falo de miss Ferreira.

Recentemente ela foi presa em Nova York porque estava com seu namoradinho, o Zac Cole Smith (vocalista do DIIV), carregando uns ecstasy para uma balada. Mais recente ainda, posou “sexy'' para o famoso fotógrafo taradão Terry Richardson, autor da foto deste post. E mais que recente, ela foi ao Facebook travar uma batalha que nunca dá em nada contra haters, pessoas que ficaram julgando sua misogenia, seu modo de vestir e de NÃO vestir e dispararam um monte de preconceito contra ela, tadinha. Mas ela não é de levar desaforos para as redes.

Seu sobrenonome, se você prefere usar a pronúncia america “correta'' (ou encontrá-la causando por São Paulo em junho e arriscar um papo), é falado engraçadamente “Feurêiura''.
Sua participação em shows no Brasil estava sendo transacionada faz um tempinho. Agora rolou.

Vem, Ferreira!

>>